segunda-feira, janeiro 31, 2011

Janeiro de 2011...

... ficará na memória como um mês em que catástrofes naturais reclamaram muitas vidas. As cheias no Brasil, no estado do Rio de Janeiro, e as que ocorreram no sul e no nordeste da Austrália, deixaram outra vez no ar a pergunta que já vai sendo habitual: a culpa é do aquecimento global e das alterações climáticas?

(Imagens da SIC de 13Jan - NOTA: as vítimas actualmente contabilizadas
são sensivelmente o dobro das indicadas nesta peça de televisão)
 
As vítimas destas cheias no Brasil, mortais ou não, foram em maior número do que as que se verificaram na Austrália. Os problemas de ordenamento do território não serão alheios a tal facto. Basta ver pelas imagens televisivas que muitas das áreas residenciais afectadas, ficavam junto a encostas com declive acentuado onde seria espectável que, mais cedo ou mais tarde, acontecesse uma tragédia.

Por outro lado, o clima também tem algumas variações cíclicas que também estão na origem de tal comportamento extremo, manifestado por estes acontecimentos atmosféricos que resultaram em cheias. A Organização Meteorológica Mundial (OMM), informou na passada terça-feira que, La Niña continuará a fazer sentir a sua influência durante os próximos 2 a 4 meses (ver notícia no jornal O Globo online).


Para entendermos no que consiste este fenómeno cíclico La Niña, que alterna com outro de nome El Niño, consultemos esta aplicação interactiva do Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos, do Brasil. (Clicar sobre a imagem)


Sem comentários: