sábado, abril 24, 2010

Telescópio Hubble faz 20 anos

.
(Eye of God [Olho de Deus] - Nebulosa Helix - Foto Telescópio Hubble - ESA/NASA)
.
"O telescópio mais famoso da história está há duas décadas em órbita. A 24 de Abril de 1990 foi colocado a bordo do Discovery, e ontem a NASA, antecipando a celebração apresentava novas imagens do céu obtidas por esta máquina cientifica única.

.../... O Hubble, com 13,2 metros de comprimento e 4,2 de diâmetro e onze toneladas de massa, recebeu cinco missões de astronautas que o iam reparando e actualizando, alterando as câmaras por modelos mais modernos e substituindo os dispositivos antigos ou estragados.

A última missão realizou-se no ano passado e não haverá mais nenhuma: o telescópio continuará a observar o céu enquanto funcionar. Quando deixar de fazê-lo será atirado ao mar. Os cientistas acreditam que o telescópio consiga atingir o 25º aniversário, mas entretanto a NASA e a ESA estão já a trabalhar no seu substituto − o James Webb." (para ler o artigo completo de Ciência Hoje, clicar aqui)

Uma boa oportunidade para relembrar o excelente documentário do Canal História aquando do 15º aniversário do Hubble.
.

(Para continuar a ver as partes 2, 3, 4, 5, 6, 7, e 8, clicar no número respectivo)
.
Para saber um pouco mais sobre o funcionamento desta maravilhosa peça da engenharia aeroespacial, explorem os diagramas interactivos dos websites How stuff works e do jornal The New York Times, este último sobre uma das várias intervenções de manutenção do Hubble.
.
.

.
Um website que aconselho vivamente a explorarem pela riqueza de informação sobre e produzida pelo Hubble é o Hubblesite.
.
.
Apesar do inglês ser a única língua disponível neste site, não deixem de observar as inúmeras galerias de impressionantes fotografias, actividades e onde até podem obter um modelo à escala para imprimir e montar (Ver aqui e aqui).

.
.

11 comentários:

Anónimo disse...

Apesar deste telescópio ser de á duas decadas é tecnologia de ponta e sem ele não conheceriamos metade do que conhecemos do espaço.

Nº9 7ºE

Anónimo disse...

O Hubble é muito importante para o desenvolvimento do ciência espacial. Talvez o Hubble fique ainda lá mais uns 20 anos.




7ºE/nº2 Ana C.

Prof. Miguel Fernandes disse...

... Mais 20 anos será excesso de optimismo. Os cientistas já ficarão contentes se funcionar mais 5 anos. A partir de 2014, será a vez do novo telescópio: James Webb.

Anónimo disse...

Professor o Hubble foi um grande avanço é inacreditável 20 anos e deve ser um dos melhores telescópios que existe.
Esse artigo de como o Hubble funciona está muito bom.
Rúben T. 7e 24

Anónimo disse...

Toda a jente fala de como o huble é maravilhoso mas aposto em como o james webb se vai sair ainda melhor e com ele vamos evoluir muito.

7ºE Nº9

Anónimo disse...

Sem o telescópio Hubble não tinha começado a descoberta do espaço, graças a ele o espaço começou a ser descoberto pelo homem.
Muitos parabéns telescópio Hubble!

A.R.T nº3 7ºE

Anónimo disse...

Concordo que o telescópio Hubble foi muito precioso para a descoberta e a exploração do espaço.

B.L n6 disse...

Professor, quantas mais cureusidades podem existir sobre o Telescopio Hubble.
Aquela primeira imagem parecia um olho, que giro!
Quando eu conseguir mais informacao sobre este telescopio eu aviso. Vou por por maos a obra e... PESQUIZAR!

Anónimo disse...

Espero que o hubble fica + 5 aninhos para deixar o James Webb entrar em grande e modificar isto tudoooo

Anónimo disse...

Bem, realmente o que o Homem tem a capacidade de criar!!!
Em relação ao que o professor disse sobre ele ser substituido em 2014, vai ser muito perigoso, quando o fizerem cair, nao e? Ou vão deixa-lo lá?


Maria Bértolo nº16 7ºE

Prof. Miguel Fernandes disse...

Quando a NASA assim o entender, acciona um pequeno motor que ao fazer um disparo de gás, irá travar a velocidade do satélite. Esta operação obrigará o Hubble a iniciar uma queda que poderá demorar vários meses, pois o ângulo de queda será pouco pronunciado.
Quando reentrar na atmosfera da Terra, a velocidade de queda será tão elevada que o atrito com o ar irá provocar a desintegração do Hubble pelas fantásticas temperaturas desenvolvidas. Só alguns componentes mais resistentes, feitos com metais mais rígidos, irão chegar à Terra, no oceano. A trajectória estará programada e prevista pelos cientistas.
Por isso podes ficar descansada e não ter o medo de Astérix: que o céu nos caía na cabeça...